Princípios editoriais

 

Princípios Editoriais do BLOG DO EVANGELISTA

 

 

Princípios Editoriais do BLOG DO EVANGELISTA

Como um veículo de comunicação sério o Blog do Evangelista, que é uma empresa legalizada com registro no CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), com alvará de funcionamento da Prefeitura, com Jornalista registrado na SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego) de Teresina – PI, com endereço eletrônico www.blgodoevangelista.com.br, vem expor os seus princípios editoriais. Ainformação é citada diversas vezes em dispositivos da Constituição Federal de 1988, é algo muito sério, a Imprensa é fundamental para a democracia. Este veículo de comunicação procura através desta publicação mostrar os seus objetivos e compromissos com a informação.

 1. A informação é de propriedade dos cidadãos brasileiros, e é inegociável

De acordo com pesquisa a obra literárias de juristas, a informação, que é citada pela Constituição Federal de 1988, é de propriedade de todos os cidadãos brasileiros. Todos tem direito a informação verdadeira e completa. A informação não pertence ao BLOG DO EVANGELISTA,  por tanto, este site de notícias, não pode negociar a informação. O BLOG DO EVANGELISTA não negocia o que não é nosso, é ilegal negociar algo que não é nosso. Não tiramos o direito dos brasileiros.

2. Publicamos fatos de Interesse Social, e não atingimos a privacidade das pessoas

Jornalismo é uma atividade cujo propósito central é produzir um primeiro conhecimento sobre fatos e pessoas. Mas o seu conteúdo exercido pelo direito de informar vai colidir com os da personalidade (honra, privacidade, intimidade e imagem). Quando houver interesse social, prevalecerá o direito de informar, mas quando não, prevalecerá os da personalidade.

3. Imparcialidade

Tratamos de forma igual todos, nos textos de nossa autoria como nas reportagens. O contraditório deve ser sempre acolhido na matéria reportada pelo Blog do Evangelista, o que implica dizer que todos os diretamente envolvidos no assunto têm direito à sua versão sobre os fatos, à expressão de seus pontos de vista ou a dar as explicações que considerarem convenientes. Isso não quer dizer que o relato e/ou a análise de fatos serão sempre uma justaposição de versões. Ao contrário, o jornalista deve se esforçar para deixar claro o que realmente aconteceu, quando isso for possível.

A reportagem produzida pelo Blog do Evangelista terá de trazer a versão da pessoa acusada, de forma ampla, se ela se dispuser a falar.

4. Fonte, pessoas comuns e sigilo profissional

As fontes são pessoas que passam informações aos jornalistas, podem ser muito conhecida ou qualquer cidadão comum, qualquer que saiba de fatos, acontecimentos. O sigilo sobre as fontes é inviolável, e serão protegidos pelos jornalistas na tarefa de mantê-lo em todas as instâncias, sob qualquer circunstância. As fontes não precisam se preocupar, pois seus nomes, como também características que poderiam levar as suas identificações, não serão revelados nem na notícia e nem a ninguém. Esse seguimento tem proteção legal na Constituição Federal no “Art. 5º XIV – é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”. Mas se tratando de pessoa envolvida como parte no caso ou de autoridade responsável pela apuração ou a solução da questão, primeiro estes devem perguntar ao Jornalista se há o interesse de manter o sigilo, e só depois fazerem suas revelações.

As fontes não podem ser colocadas pelo site/jornalista, em situação de qualquer risco. Principalmente quanto a integridade psicológica e física.

5. A Imprensa é Livre

A Imprensa tem total liberdade de decidir o que vai reportar ou publicar. Ninguém pode exigir que a Imprensa publique conteúdo que não queira. Aceitamos sugestões, estas passarão por uma triagem levando em conta diversos critérios para serem aprovadas ou não, levando em conta o número de acessos, a legalidade, as limitações,  a nossa estrutura e outras mais. A constituição Federal não fala no DEVER de Informar, mas no DIREITO de Informar. Como se trata de um direito e não de um dever, a Redação pode abrir mão quando quiser de publicar conteúdo, até porque seria impossível publicar tudo que acontece no mundo.

6. Não guardamos notícias, elas devem ser publicadas nos momentos em que acontecem

De forma imediata deve acontecer a publicação, assim que o fato aconteceu ou acontece. A notícia é aquilo que está quente e deve ser divulgada antes que se esfrie. Quando se tem toda apuração do fato dever ser divulgados todos os detalhes e a identificação das pessoas envolvidas. Caso a apuração ainda não tenha sido concluída pela reportagem, na triagem deve-se divulgar as informações que não venha a violar os direitos dos cidadãos. Quanto às demais informações, o sigilo será temporário, até que se tenham esgotado os meios legais de apuração, ai sim todas as informações de Interesse Social serão publicadas. A demora da publicação só se justifica se este veículo não tiver a estrutura adequada para fazê-lo. Não se pode comparar a estrutura deste veículo local com as de outros veículos de comunicação: Como exemplo, empresas de notícias da imprensa nacional.

Não guaramos conteúdos de interesse social revelado por qualquer pessoa que seja, a pessoa que pretende revelar, deve primeiro perguntar ao Jornalista, se este tem interesse ou não em guardar em sigilo, para só depois o revelador relatar o que sabe ao profissional do site.

7. Tentar influenciar o Jornalista a fazer algo ilegal ou que atinja a sua dignidade

Amigo da família, amigo de infância, ser vizinho, ou ter estudado junto na mesma sala de aula ou ser parente, ou ter qualquer tipo de aproximação do jornalista para obter privilégios ou vantagens ilegais, ou que atinja a dignidade do jornalista, o Blog do Evangelista não permite que isso aconteça.

8. Remoção de conteúdo, só por motivo de erro do Blog do Evangelista que cause ilegalidade

Pessoas envolvidas em matérias do Blog do Evangelista podem tentar mostrar que determinado trecho, ou a noticia completa, poderia está ilegal, caso entenda a direção de que há ilegalidade será retirado o conteúdo completo ou parcial, como também conceder espaço para a versão do requerente. Com versões diferentes estaremos mais próximo da verdade dos fatos. Equívocos ou erros de edições também serão corrigidos.

9. Gravar imagens de pessoas em fotos e vídeos

A legislação brasileira não proíbe o uso da imagem de pessoas, pela Imprensa, quando há o Interesse Social, mas sim, o seu uso indevido, que é quando não houver Interesse Social.

É ilegal é a divulgação de foto ou vídeo para terceiros sem o Interesse Social da informação divulgada em que há a imagem.

Existe também uma lei que reforça a fotografia, é a Lei de Autoria que reconhece toda foto realizada por uma pessoa, mesmo que seja por celular, como uma obra de arte.

Autorização de imagens só para fins publicitários. Não havendo Interesse Social não se publica. Havendo Interesse Social se publica. Agora às vezes as pessoas autorizam a foto mesmo sem que haja o Interesse Social. Regra principal no jornalismo é: que havendo Interesse Social se faz a publicação independente de autorização ou não. E aquele que tentar impedir a publicação vai está contra a Lei. Consideramos a atitude imoral e ilegal.

10. Não aceitar pedidos de políticos e de pessoas influentes

O Blog não abre mão dos três dispositivos constitucionais: direito de acesso a informação, direito de si informar, e direito de informar. Não aceitando pedidos de políticos, autoridades, nem de qualquer cidadão comum, não importa a classe social que pertença ou setor da atividade que desempenha, para retirada de conteúdo publicado e nem o pedido para deixar de publicar fato ainda não divulgado. Retirada de conteúdo apenas quando houver ilegalidade ou por questões de ética ou ordem judicial.

11. Conflitos entre instituições públicas

Os conflitos entre instituições da Administração Pública ou entre seus agentes públicos devem ser resolvidos exclusivamente por eles próprios, sem que envolvam pessoas que trabalham no Blog do Evangelista. Ex.: órgão “X” fez um serviço, o órgão “Y” diz que quem fez foi ela e não “X”. Um querendo tirar o outro da “jogada” para se promover sozinho.

12. Alteração dos princípios

Os princípios acima do Blog do Evangelista são baseadas na Lei, e não acreditamos que tenha ilegalidade. Poderão ser alteradas ou acrescentadas apenas de acordo com o previsto na legislação brasileira e na ética, e quando o Blog do Evangelista entender que as mudanças trarão melhorias para o público em geral, sem desconsiderar os dois pontos citados anterior a esta.